Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu, António

Um encontro profundo entre as minhas viagens e a escrita, é o motivo para partilhar o que me faz feliz, com todos vocês.

Eu, António

Um encontro profundo entre as minhas viagens e a escrita, é o motivo para partilhar o que me faz feliz, com todos vocês.

04.Mai.19

Eu sei da sua depressão

António Vieira Da Silva
Ela pensava que eu,não sabia que ela sofria de depressão. Acho que tinha receio que me afastasse dela, que fosse procurar um mundo mais seguro, mais estável onde as coisas fossem mais fáceis de encarar e de viver. Pensou que eu não iria querer estar ao lado de uma pessoa, que muitas vezes chora sem motivo, sem motivo para mim é claro, porque para ela, sempre que chora, o mundo desaba e as paredes racham com a sua dor, é a sua dor e não a minha, são os seus motivos e não os meus. (...)
01.Mai.19

Somos um do outro

António Vieira Da Silva
Nós fazemos coisas que não iremos fazer com mais ninguém. Essa é a melhor parte da relação, conseguirmos descobrir um no outro a magia de ser diferente e mesmo assim, amar intensamente, como o fazemos todos os dias nas nossas brincadeiras de mocidade que ainda está em nós. - Que fique sempre em nós! Gosto quando me pegas ao colo com aquela tua super força, fazendo barulhos engraçados, tentando imitar os super heróis. É inevitável não me apaixonar mais ainda, quando me (...)
09.Fev.19

Mesmo que estejas longe, EU ABRAÇO-TE

António Vieira Da Silva
Quero abraçar-te, abraçar-te aqui, além, no choro compulsivo, na alegria interminável, na manhã e à noite quando o nosso amor é uma brecha de ar fresco que nos faz viver felizes, alegres com o mundo, apaixonados pelo mundo de cada um. Não sei o que és, quem és, o que fazes na minha vida e onde tudo isto, que é nada por enquanto, vai terminar ou se vai durar para além da eternidade da nossa paixão de mocidade. Certo é que te envolves em mim de uma forma não normal, quer (...)
23.Jan.19

Juro que não te vou esquecer!

António Vieira Da Silva
Juro que nunca vou esquecer a mão que me segura, o beijo que tantas vezes beijei em sonhos, que tantas vezes quis beijar mesmo nesta distância eterna dos nossos lábios.  Juro que não esquecerei a pessoa moça, mocinha na idade, mocidade daquele olhar cheio de ternura, que despertou a profundeza dos sentimentos que incomodam o meu sono! Juro que esta mão que te tocou, de mansinho, vai levar consigo para o resto da vida uma fininha melancolia por não ter agarrado com delicadeza a tua (...)
22.Jan.19

Diário - Pensamentos vazios

António Vieira Da Silva
Mais um dia de eternas loucuras dentro do meu ser. Todos os dias os meus pensamentos são impertinentes, não por serem negativos ou porque me possam fazer deprimir, mas sim porque sonho alto, tenho objectivos claros dentro da minha mente.  Quer queira quer não, isso leva-me a destinos que nunca imaginei alcançar, e no entanto sou um comum mortal, uma espécie comum, qualquer, uma amostra perdida do universo que me domina quando nele, penso. Mas vivo de ideias, e hoje estou com esta (...)
22.Jan.19

A tua falta transformou-se em dor

António Vieira Da Silva
Tenho aqui na mão o deserto do nada que existe, queria pegar de novo a tua mão, segura-la com a segurança de como quem cuida de algo com amor. Percorro os mesmo caminhos que percorremos os dois, em sonhos é verdade, para que nunca me esqueça dos momentos que são inteiramente nossos.  Queria estar de novo naquele porto, olhar o teu olhar pela primeira vez mais um vez para sentir o que senti sem que consiga descrever o teu olhar no meu, o teu sorriso em mim, a tua voz doce percorrendo (...)
21.Jan.19

Quero voar como uma borboleta!

António Vieira Da Silva
(11-365) Quero voar como uma borboleta! Quero aprender a voar, livre, como uma borboleta que com a sua doçura selvagem faz-me querer viver intensamente como elas vivem as suas curtas vidas. Queria saber o sabor de uma borboleta que me encanta a vista, que me embala em momentos de tristeza. Elas sentem, só podem sentir a minha leve melancolia enquanto tropeço na vida de saltos alto sem nunca sequer os ter usado. Mas elas sabem, sabem que precisam de alcançar o objectivo de vida antes de (...)
20.Jan.19

Quando o amor, é verdadeiro

António Vieira Da Silva
Quando sentires lentamente a minha mão, percorrer o teu rosto, vais acordar com alegria, sentir o meu corpo junto ao teu, num amor profundo, numa melodia que só a paixão consegue explicar. Quando sentires os meus lábios nos teus, dançando nas curvas do teu sorriso que brilha, ilumina-me e faz-me sonhar, vais perceber que quando abrires os olhos, eu vou estar sempre ao teu lado, mesmo na distância de um simples olhar, eu vou estar em ti e tu em mim. Quando deitares a cabeça no meu (...)
20.Jan.19

Fragilidade do meu Eu

António Vieira Da Silva
E como se o tempo fosse nada, eu também sou nada, e como se a vida fosse tudo, eu também sou tudo, e se o teu sorriso fosse a essência da beleza, eu seria cada traço do teu rosto, um rosto pintado do tempo que passou e da vida que já viveu! Sou eu... Sou eu... Eu debruçado sobre uma janela virada para o mundo, não um mundo qualquer, o teu mundo. Eu debruçado sobre as tuas fragilidades e as tuas forças, eu debruçado nos teus lábios que me levam daqui, levam-me para sonhos (...)
19.Jan.19

O poder de te amar.

António Vieira Da Silva
O poder está nas palavras, nos sorrisos, nos sonhos, nas memórias boas e más, no amanhecer em cada amanhecer, no amar enquanto somos amados, o poder está em tudo, em ti, em mim, em nós que por entre a multidão e a loucura de quem passa por nós a correr. Assim ficamos em câmara lenta, naquele momento em que nos conhecemos, ficamos abraçados sem nunca nos termos tocado, ficamos numa perda de tempo e num ganho de sorrisos, como dois adolescentes descobrindo o amor pela primeira vez. (...)
18.Jan.19

Se soubesses dessa falta que me fazes...

António Vieira Da Silva
Soubesses o quanto sinto a tua falta, o quanto eu gostava de poder pegar na tua mão doce, e levar-te por aí, nesse futuro que tanto sonhou com nós os dois juntos. Soubesses como a simplicidade do teu sorriso, consegue me transformar num ser mais sofisticado! O tempo passa, passa tão rápido que te perco todos os dias, e todos dias choro numa luta intensa com os meus sentimentos, de raiva por não te ter por perto, de solidão, pois só tu completas-me daquela tal maneira que sempre sonhei. (...)
01.Mai.18

Que o nosso abraço, exista para sempre.

António Vieira Da Silva
Que noite seja tua, seja minha, que noite fique nas nossas memórias enquanto eu conseguir lembrar-me do teu abraço forte, doce, quente, de segurança, aquele abraço que terminava nos teus lábios, nos meus lábios, naquela noite que nos pertence. Quero-te tanto, num tanto que não é propriedade, quero-te tanto que se chama amor. Quero para além da imensidão das estrelas, das luas, das noites e das manhãs, quero-te para além de tudo o que já viveste. Só tu, eu, o nosso mundo, um (...)
27.Jan.18

Descobri-me em ti!

António Vieira Da Silva
Não faz assim tanto tempo que nos conhecemos, e isso realmente não tem grande importância para mim, porque cada gargalhada tua, é como a mais bela melodia que me embala para o mais profundo pensamento, que carrega não só o que sinto, mas sim toda a magia do teu olhar, lembrando-me daquela forma bela como caminhaste ao meu lado naquela noite em que pude de novo sentir algo, este algo que não tem nome, não pode ter nome pelo menos até eu te descobrir, por completo. Sem que queira (...)
24.Jan.18

Porque é que és importante?

António Vieira Da Silva
Eu estou aqui, no meio do caos onde a vida se faz, onde a vida se torna num temporal sem tempo algum, que me faça esquecer do teu olhar, que me faça esquecer de ti.  Eu que tanto te sonhei e nunca me esqueci do leve toque da tua mão, quando nos vimos pela primeira vez, eu que tenho vivido num temporal onde passo os dias cantando debaixo de tanta chuva, aquela chuva fininha e dolorida que os olhos deixam cair.  Eu por aqui vou num deslumbro soberbo onde quero que tudo me seja (...)
22.Jan.18

Tenho a mão cheia de ti...

António Vieira Da Silva
Sempre vou lembrar-me da noite em que o meu coração, quase entrou em arritmia, num jogo entre a velocidade maluca e a lentidão de uma câmara lenta, aquela noite em que lá estava eu, com as mãos suadas, com o corpo molhado, não pela chuva que caia nessa altura, mas porque nunca te tinha visto, mas já te tinha sonhado por completo. Lá estava eu naquele bar onde ouvia ruídos por todos os lados e tu nunca mais chegavas. Vou lembrar-me da primeira vez em que te vi através do vidro (...)
19.Jul.17

Quando passas por mim...

António Vieira Da Silva
Ainda hoje passei por ti, ainda hoje tiveste na mira do meu olhar, esse momento que para mim é o melhor do meu dia, ainda hoje apaixonei-me por ti mais uma vez, ainda hoje consegui viver uma vida quando te vi naqueles meros segundos em que passaste por mim, e já sinto uma saudade enorme de te ver, de te sentir, de te escutar quando na verdade não ouço nada do que dizes, fico na minha a pensar como gostava de te segurar na mão, e garantir-te que terás o melhor de mim, o melhor do meu amor. Já faz alguns dias que tenho tanto para te contar, já faz alguns dias que adormeço com o teu rosto desenhado no tecto do meu quarto, sonhando num abraço profundo, que me faça sentir vivo, que me faça sentir perto de ti, que me faça não (...)
18.Jul.17

Os melhores segundos do meu dia...

António Vieira Da Silva
Quero trabalhar todas as horas do dia, quero despertar cedo, logo pela manhã calada, quando o silêncio ainda é uma promessa da tua chegada! Quero trabalhar todas as horas do dia para que possa olhar para ti, para que te possa sentir, sentir da forma mais profunda do termo da palavra, quero sentir o aroma do teu perfume invadir-me pela calada e que esse cheiro possa ficar comigo quando os meus olhos já não te alcançarem. Mal posso esperar que chegues, mal posso esperar que faças o (...)
13.Jul.17

Abraça-me no silêncio...

António Vieira Da Silva
Abraça-me, abraça-me no silêncio da noite que nos enrola numa manto de ar frio que corre pela minha janela entreaberta, abraça-me com um beijo do tamanho do mundo, chega-te lentamente para o meu abraço, deixa que o silêncio tome conta das palavras e que a noite seja responsável pelas nossas loucuras. Tenho saudades do teu sorriso, saudades do cheiro do teu perfume, tenho saudades da suavidade dos teus dedos, ainda que nunca os tenha sentido, é fácil imaginar, é fácil imaginar a (...)
13.Jul.17

Quando um olhar basta!

António Vieira Da Silva
Bem vi no teu olhar, mais que um susto, mais que um sorriso, mais que um olhar tímido, vi no teu olhar uma alma que me assustou, não no sentido mais profundo da palavra susto, assustei-me quando te vi porque foi a magia dos teus lábios, que despertou um desejo em mim, assustei-me porque foi no teu olhar que me iluminei, foi no teu sorriso que me sorri de volta! Juro que os meus planos se alteraram quando te vi, mudei de direcção e fui em busca do prazer de voltar a ver-te sorrir, fui (...)