Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu, António

Um encontro profundo entre as minhas viagens e a escrita, é o motivo para partilhar o que me faz feliz, com todos vocês.

Eu, António

Um encontro profundo entre as minhas viagens e a escrita, é o motivo para partilhar o que me faz feliz, com todos vocês.

03.Fev.14

Onde estás tu minha princesa?

António Vieira Da Silva
Hoje acordei juntamente com o sol quando nasceu. Eu andava pela rua, por Lisboa em direcção ao trabalho, com um passo solene cheio de memorias dentro de mim e cheio de saudades que me temperam o amor que eu senti naquele dia por ti. Tenho a esperança que numa destas esquinas te encontro, olho com atenção para todas as pessoas que por mim passam e não te encontro.. Onde estás? Ao menos diz-me onde estás e eu prometo que te vou ver em que me sintas, vou no silêncio dos meus (...)
03.Fev.14

A tua falta transformou-se em dor...

António Vieira Da Silva
Tenho aqui na mão o deserto do nada que existe, queria pegar de novo a tua mão, segura-la com a segurança de como quem cuida de algo com amor. Percorro os mesmo caminhos que percorremos os dois, em sonhos é verdade, para que nunca me esqueça dos momentos que são inteiramente nossos.  Queria estar de novo naquele porto, olhar o teu olhar pela primeira vez mais um vez para sentir o que senti sem que consiga descrever o teu olhar no meu, o teu sorriso em mim, a tua voz doce percorrendo (...)
02.Fev.14

Hoje, dou-te o meu coração...

António Vieira Da Silva
Eu e tu na complicação fininha de um amor que despertou a voz doce do meu coração, corremos o mundo em breves momentos em que estamos juntos no calor de um olhar moribundo que nos desperta um para outro. Cada vez que embalo um sorriso sincero no teu olhar tenho a certeza que o momento em que as nossas mãos se unidam não será apenas uma lembrança do passado mas uma mergulho sincero para um futuro sorridente, um futuro que me prometa te fazer feliz, um futuro que me prometa que não (...)
02.Fev.14

Vestígios do teu amor...

António Vieira Da Silva
Quando o amor eu quero sentir, sei onde posso procurar e tenho a certeza que ainda está lá o amor que eu senti ontem. Sentado naquela mesa com vista deslumbrante para o rio Tejo, hoje estou sozinho na mesa que ontem estava completa de amor, lembro-me do teu breve sorriso na minha direcção, um pouco tímido mas o suficientemente grandioso para deixar a marca naquela sala, naquele lugar que era teu, deixar a marca mais profunda no meu pobre coração. Sempre que tiver saudades, posso (...)
02.Fev.14

Tenho o teu sorriso em mim.

António Vieira Da Silva
Ontem o tempo que correu foi mágico, ao teu lado fui uma espécie de nada que o vento fazia apenas o favor de me transportar para onde quer que fosses, o vento fez o favor de me transportar porque nada sou para além daquilo que um dia te posso dar. Tu no teu canto, num silêncio profundo que me fazia suspirar quase de uma forma imperceptível, fizeste-me viajar para longe, para longe do próprio sonho em que estava e do qual eu não desejava sair, pois cada olhar teu foi a mais pura (...)
31.Jan.14

Hier, ton regard m‘a marqué...

António Vieira Da Silva
Aujourd’hui je sens comme une nostalgie de ton regard, et quand je pense à toi, quand je pense à toi je sens une douce mélancolie qui s’empare de mon corps, presque inexistante, mais suffisamment réelle tellement elle m’envahit. Nos regards se sont croisés maintes fois, presque en secret, et le plus beau souvenir, n’est pas spécialement celui d’hier, mais celui de ces derniers temps qui reste gravé en moi. J’ai peur d’oublier ton regard, ton sourire et ta façon de (...)
30.Jan.14

...A aventura que vivemos os dois...

António Vieira Da Silva
Não penso em nada para além da aventura que vivemos os dois, não penso em nada para além dos dias em que nos beijávamos no calor do nosso amor e no suor da paixão, olhava-te nos olhos e mesmo sem dizer uma palavra, percebia-se que tudo se resumia num amor profundo.  Nunca precisei de dizer que te amava, pensei que apenas um olhar era suficiente e que tu percebias. Mas o tempo foi passando e a distancia foi nos afastando, não disse que te amava pensando que o sabias.  Passo a passo (...)
29.Jan.14

Tu não sabes o que eu quero...

António Vieira Da Silva
Tu não sabes o que eu quero e um sinal teu neste momento talvez fosse mudar o rumo da minha vida. Tu não sabes o que eu quero e isso magoa mais do que aquilo que possas imaginar, porque nós vivemos juntos, juntos no sentido de partilha de momentos fantásticos, lugares incríveis e sentimentos únicos! Magoa não saberes o que eu quero e hoje é tarde de mais para recuperar o tempo que nunca vai voltar, o tempo que se foi e levou o teu amor de mim como o vento quando varre as folhas (...)
28.Jan.14

Ainda te consigo amar...

António Vieira Da Silva
Deitado no teu peito Não consigo adormecer, Não quero fechar os olhos Não te quero perder! Deitado no teu peito Consigo imaginar O amanhecer e o anoitecer, Mas não consigo fechar os olhos Tenho medo de te perder, Deitado no teu peito Vivo mais do que posso viver, Tudo se resume a uma dor De te querer abraçar, e não poder, Deitado no teu peito Ouvindo o coração bater, Vais adormecendo os meus sonhos Abrindo os meus olhos ao mesmo tempo Que estás a desaparecer! Ainda consigo sonhar (...)
27.Jan.14

Cada vez que escuto a tua voz!

António Vieira Da Silva
Cada vez que escuto a tua voz  Em mim, um amor se desperta,  Cada dia que penso em nós  Uma dor triste, aumenta!  Cada sorriso teu que eu me lembro  Faz o amor acontecer,  Tudo acabou em Setembro  Tudo acabou quando eu não soube viver!  Cada lágrima que desperto  Faz-me lamentar o que não vivemos,  Um sorriso teu no meu desespero  Faz a lua lembrar-me de quando nos amávamos!  Hoje, chora sem parar o meu sorriso  Hoje baloiço só, no nosso lugar,  Não quero esquecer (...)
26.Jan.14

O beijo que eu te roubei!

António Vieira Da Silva
Roubei um beijo e não sei de onde o roubei, gostava de saber para onde foi o beijo que eu roubei, queria ter tantas certezas como as certezas que beijo tinha, o beijo que eu roubei!  Espero pelo beijo que nunca chegou e pela rua quase desfaleço em vão pois nunca foi verdadeiramente meu o beijo que eu um dia te roubei!  Queria ser dono do tempo, queria roubar os beijos que não posso ter, não queria roubar em vão pois um beijo por mais que seja roubado, é um beijo que é dado do (...)
26.Jan.14

Posso amar-te até ao fim?

António Vieira Da Silva
Em apenas um dia, apaixonei-me por ti Cada felicidade, cada momento ao teu lado, Foi tão grande e tão novo como todas as gotas do oceano, que nunca senti Foi como se tivesse estagnado e passado toda a vida, calado! Em apenas um dia apaixonei-me E o importante era que o tempo voltasse, Apenas um dia, e a tua voz acalma-me E talvez um beijo teu, me calasse, Uma semana Apenas um dia me restaram Hoje é um tempo sem fim Enquanto o teu amor, não chega até a mim! Podes vir, vem questionar-me P (...)
25.Jan.14

Queria saber de ti, sem te questionar...

António Vieira Da Silva
Pergunto-me por ti! A noite está fria e acabei de sentir um arrepio neste meu corpo vazio. Tudo está tão diferente depois da tua partida e eu não quero esquecer o teu belo olhar que no mesmo estante em que o penetrei, me fez apaixonar! Tudo está tão diferente em mim, queria saber de ti sem te questionar, queria ver-te para além das memórias pois a imagem que guardo de ti em mim não é suficiente para me alegrar nesta noite fria em que eu só precisava de te abraçar! Em mim, a (...)
25.Jan.14

Quero procurar o melhor de mim...

António Vieira Da Silva
Quero procurar o melhor de mim, não sei onde nem quando vou encontrar, mas quero encontrar o melhor de mim e hoje quero deleitar-me nesta minha única certeza, neste meu último suspiro de pura certeza de querer encontrar-me!  Procurarei onde já foi procurado, encontrarei o que já foi encontrado mas nunca verei comos olhas de quem já viu, pois cada olhar tem a capacidade de imaginar e de encontrar um pouco de si em todas as coisas que existem, toda a gente tem a capacidade de ser (...)