Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu, António

Um encontro profundo entre as minhas viagens e a escrita, é o motivo para partilhar o que me faz feliz, com todos vocês.

Eu, António

Um encontro profundo entre as minhas viagens e a escrita, é o motivo para partilhar o que me faz feliz, com todos vocês.

Ontem o teu olhar marcou-me!

Ontem o teu olhar marcou-me! 
Hoje sinto saudades do teu olhar, e quando penso em ti, quando eu penso em ti, percorre no meu corpo uma melancolia suave, quase inexistente mas ela existe e dá para sentir. Quase em segredo o nosso olhar se cruzou inúmeras vezes e é a recordação mais bela não de ontem, mas dos últimos tempos que gravo em mim. Tenho medo de esquecer o teu olhar, o teu sorriso e a tua forma um pouco desajeitada de andar mas que ao mesmo tempo me faz querer parar no tempo para em ti, continuar a pensar. Não quero parar de pensar, não posso querer deixar de pensar em ti pois o teu leve sorriso chama por mim, esteja onde ele estiver, ele chama por mim. Consigo senti-lo daqui! 
Tenho saudades do teu olhar que me marcou. 
Uma vez por outra vou até à minha varanda sentir a brisa fria, parecida com a que sentimos ontem no miradouro da Graça, só para me lembrar de ti, só para não te perder, só para não ter nenhuma razão para te perder no meio dos meus pensamentos! 
E se eu estiver errado, se eu estiver errado sorri-me apenas mais uma vez para eu ter a certeza do teu sorriso e para o guardar para sempre no meu coração porque na vida por vezes vemos sorrisos que nos marcam mas não temos a coragem de os guardar com medo que nos façam mal! 
Mas eu quero ver o teu olhar, o olhar que me marcou!

 

 

António Vieira Da Silva